sábado, 26 de dezembro de 2015

Texto otimista sobre mudanças.


Já parou para pensar em quantas vezes você mudou de ideia esse ano? Só hoje, tive três recaídas de opinião. Dormir é sempre uma boa escolha.
Esses dias aproveitei vários nascer do sol para pensar em mim. Na poetização de ver a lua dando lugar para o sol, e a escuridão se esvaindo pouco a pouco em cores diferentes no céu.  E não pude deixar de pensar em recomeços; 
Quantas chances eu tive de recomeçar, em todas as mudanças no meu cabelo, no número de vagas que ficaram vazias no meu coração e como foram, igualmente, preenchidas. Na quantidade de idas e voltas, nas recaídas e nas oportunidades de fazer certo, em como eu arrisquei nas coisas corretas e apostei nas erradas, nas certezas que já não são mais tão certeza assim e nas que ficaram cada vez mais fortes nas minhas ideologias.
Nas pessoas que conheci, nas que gostaria de desconhecer, nas mensagens que enviei e que me não deu para desencaminhar, nas que recebi e me fizeram sorrir por semanas. Penso em cada conflito interno, cada crise de identidade, em cada complexo que surgiu e atacou nos medos particulares.
Quantos romances eu vi começarem e acabarem, quantas experiencias novas (algumas um tanto traumáticas) eu pude vivenciar, quantas dificuldades eu superei porque tive as pessoas certas do meu lado e o tempo a favor.
Quando chega a relação de quantos livros li, quantos filmes eu assisti e por quantos personagens me apaixonei? Com quantas histórias chorei e com quais delas eu ri até a barriga doer? Como colocar na balança quantos desses choros foram de alegria e quantos foram de tristeza? No momento, só penso nos de alegria.
Esse é o momento em que espero o feedback da minha vida, em quantas pessoas eu ajudei a se sentirem especiais e se, por acaso, arranquei alguns sorrisos por ai. O clima faz com que queira agradecer de forma especial por cada elogio, sorriso,conselho, choro compartilhado, música dedicada, abraço apertado, presente material e aqueles que só quem é unido pelo coração consegue dar, por cada bronca, cada ajuda, cada mão que se estendeu para me ajudar a levantar, cada "sinto muito", cada "eu te amo", cada oração. Cada momento.
Foi um ano de sentimentos intensos, cheio de aprendizado e que foi crucial para o meu amadurecimento. Eu cresci bastante e tive vários empurrõezinhos que me fizeram ter coragem de inovar, aceitar as mudanças da melhor forma e saber aproveitar o que cada estação nos dá de melhor.  Seja chuva, sol, folhas secas, ou flores que nascem onde menos esperamos.
Apesar de me sentir pronta para 2016, o ano não acabou ainda. Tenho alguns dias, horas, minutos e oportunidades de participar de várias mudanças ainda.
Que as coisas boas não sejam breves, e que as ruins nós deixemos para trás, onde o vento pode carregar para bem longe.

Obrigada por ler até aqui. Amo vocês!


Nenhum comentário:

Postar um comentário