sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

"E lá vem você, gritando pela paz com uma arma carregada."


 Oi gente, como vocês estão?
 
Essa semana, em uma aula de sociologia, nós falamos um pouco sobre cidadania e acabamos entrando no assunto dos protestos atuais e como sempre tem pessoas lá que, além de atrapalharem quem quer realmente melhorias, acabam lutando por motivos que nem elas entendem.
E isso me intrigou um pouco. 
Em quantos debates políticos, sociais e teológicos nós temos entrado sem compreender o real motivo daquilo? Quantos textos nós redigimos ou lemos no facebook sobre 'polemicas' que conhecemos superficialmente? Por quê insistimos em falar de assuntos dos quais somos leigos? 
Meu pai me disse que o ser humano gosta de promover o terror, uma tendencia apocalítica de dramatizar crises, doenças, catástrofes, pelo simples prazer de amedrontar pessoas. E nós acreditamos, nos preocupamos, roemos as unhas e arrancamos os cabelos por esses motivos porquê não queremos saber mais acerca dessas coisas e não averiguamos a veridicidade desses acontecimentos promovidos por pessoas que consideramos mais sabias que nós por saberem usarem argumentos, mesmo que furados, e palavras rebuscadas jogadas ao vento por um pouco de atenção.
E levamos, EU LEVO, esse terror tão a sério que já nos prevenimos com um armamento de raciocínios considerados corretos e entramos em brigas e discussões que englobam coisas que, apesar de não ter total compreensão, fazem divisões desnecessárias e constroem muros onde poderia haver simples pontes.
O que me leva a crer, que nessa geração de filósofos da internet e twitteiros sabichões devemos fazer a diferença. Sair da porcentagem que não se leva a sério e banaliza assuntos importantes, romper as estatísticas que dizem que o jovem não se interessa mais pelo correto, pelo real. Largar as armas, que antes eram de fogos e agora são distinguidas entre android e IOS e começar a distribuir flores de paz. Pensar duas vezes antes de atear pedras em alguém de opinião divergente a nossa e convencer por argumentos de fundamentos e confiáveis e não por frases de efeitos e clichês de quem nem se interessou por ler aquilo. Somos manipulados por pensar que essas coisas nos elevam e nos tornam mais inteligentes. Mas a verdade é que, quanto mais pessoas se jogando de cabeça em assuntos rasos, mais traumatismos cranianos e ausência de neurônios teremos que lidar.

As vezes acho que essas reflexões ocupam um lugar diferente no blog, mas eu prometi sempre falar o que está no meu coração. 
Espero que tenham gostado, e que tenha sido útil. 
Até a próxima, amo vocês! 

PS. O título é uma frase do tumblr. Obrigada, de nada.

4 comentários:

  1. Nossa, parabéns. Você fez um excelente texto! Essa é a primeira vez que visito o seu blog e posso lhe afirmar que continuarei a visitar. Você está fazendo um ótimo trabalho, continue com ele. Parabéns novamente, muita luz e tudo de melhor para você!!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, parabéns. Você fez um excelente texto! Essa é a primeira vez que visito o seu blog e posso lhe afirmar que continuarei a visitar. Você está fazendo um ótimo trabalho, continue com ele. Parabéns novamente, muita luz e tudo de melhor para você!!!

    ResponderExcluir