sexta-feira, 10 de junho de 2016

Fragmentos de Alguém - Sarah Forlani


Oi gente, como vocês estão?
Hoje é mais um Fragmentos de alguém, e é no mínimo inesperado; Faz muito tempo que sei que a Sarah escreve... Mas ela não nunca tinha me dado o privilegio de ler algo até alguns dias atrás. Eu entrei no meu e-mail e lá estava dois textos lindamente escritos e uma explicação que me deixou sem ar! Ela disse que eu não precisaria postar, mas seria covardia não compartilhar aqui algo com o que tanto me identifiquei. 

Tipo um mantra de paz

Paz vem de dentro, sempre ouvi isso, sempre pensei nisso, e hoje realmente eu vivo isso. Depois de muito penar tentando procurar paz em abraços, em carinhos, em livros, músicas e tantas outras coisas, vejo que se eu não tiver paz comigo, com minhas próprias ações, sentimentos, e tantas outras coisas que carrego comigo, eu não vou conseguir ser uma pessoa que tem paz. Por isso eu incentivo você a estar em paz consigo mesmo, a se aceitar, e ser do jeitinho que tu é, para depois deixar essa paz fluir, e te deixar mais leve com tudo que você fizer. Essas coisas que citei acima, são só complementos, são para momentos em que nós nos perdemos, e ao pararmos e realmente sentirmos um abraço isso vai colocar tudo que estava fora do lugar de volta. Ao nos identificarmos com um personagem e vermos que a força que ele tem é a mesma que nós temos. Ao pararmos para ouvir uma música e realmente sentirmos sua letra, sua melodia e captarmos sua mensagem.

Escreve um pouquinho ai, vai 
 
Eu sempre tive uma pequena gigantesca queda por escrever, sempre fazia as minhas redações e as dos meus colegas. Escrever é um habito que eu tento alimentar.
Escrever (pra mim, e metade do mudo) é uma válvula de escape. Me permita explicar o motivo:
As vezes nós estamos com a mente cheia, pensamos que nossos problemas são só nossos, que ninguém vai querer ouvir ou que a nossa felicidade/paixonite/e todos os sentimentos são só nossos que não é preciso falar, mas nós queremos de alguma forma desabafar ou expor isso, então nos escrevemos.

Vantagens de se escrever:

1. O papel não liga de te ouvir ( ou o computador se você é morderninho, diferentão);

2. Você pode chorar pela coisa mais idiota que o papel só vai manchar;

3. Você pode ser simples e puramente você;

4. O papel não te julga;

5. Você pode guarda-lo e lembrar disso depois ( é melhor que um print, te garanto);

6. Alivia ( te prometo, por mais tolo que isso pareça ser, é como se você tivesse

conversado com um psicólogo) ;

7. Por mais “ruim” que você seja escrevendo, o papel aceita isso;

8. Todas suas bobagens são importantes pro papel;

9. Você dá um uso pra todas essas folhas que estão paradas ai na tua casa;

10. Te ajuda na questão da inspiração;

Desvantagens:

1. O papel não te aconselha, não te abraça, mas se torna um bom amigo;

2. VICIA

3. Você pode ficar apaixonada por ler textos/pedaços dos outros

Põe na balança, compensa e muuuuito escrever.
Então eu como sua amiga, quero te incentivar a escrever, pode ser sobre as coisas mais simples, ou sobre uma historia pra fugir da realidade,ou até uma musica ,mas pega o lapís/caneta/word e se joga, você consegue.
Com muito amor
- Sarah Forlani

Eu sempre fui encantada nessa guria, queria poder dizer que somos gêmeas mas não há como dizer que existe alguém como ela! Direi que somos então, complementares. Eu senti uma ternura sem igual ao ler esses textos porque realmente foi um fragmento de quem ela é. Me identifiquei inteiramente com os dois e esse é só um dos dons que ela possui. Que o mundo continue sendo agraciado com esse sorriso, esse abraço, essas palavras e tudo o que há de bom nela (e olha que é muita coisa!) Obrigada pela amizade, Sarah, e pelo e-mail.
att. Sua fã, Juliana Feivie. 

A Sarah já tinha aparecido no blog uma vez (no post sobre Jundiaí, que é onde reside). Quem quiser conhecê-lá melhor o instagram dela é @forlani_
Espero que tenham gostado, até a próxima, amo vocês.

(Uma foto minha e da Sarah, bem lindas pra vocês)

Nenhum comentário:

Postar um comentário