quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Se ser é ter, eu não sei quem sou


Oi gente, como vocês estão?
Quanto tempo... quase um mês! Mas obrigada por não me abandonarem, não posso expressar a gratidão de continuar sentindo o coração de vocês batendo junto com o meu, mesmo nesse tempo. Eu não sei explicar o que aconteceu direito, eu só não consegui escrever nada. Precisava de um tempo pra me lembrar de quem eu sou e a participação que o blog tem nisso tudo. 
Afinal, é normal se sentir perdido as vezes. Eu entendo e aceito isso! A gente guarda muita coisa, e acaba explodindo, então tem que procurar os fragmentos que se perderam. Mas eu aprendi algo importante; quando nos desfazemos em pedaços, alguns ficam tão pequenos que são impossíveis de serem vistos ou juntados de volta ao todo. Então a gente pega só o que é essencial. 
Um dos meus poetas prediletos, Leminski, diz que "Isso de ser exatamente o que se é, ainda vai nos levar além". E Ralph Waldo Emerson complementa com o seguinte pensamento "Suas atitudes falam tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz." Esses são alguns dos pontos importantes que eu levo comigo; Ser o que eu sou e mostrar ao mundo quem sou. 
Todavia, quem sou eu? Um sopro. Vida atroz e efêmera, uma em 7 bilhões, poeira estelar...  E ao mesmo tempo, alguém com impressão de não ser uma mera coincidência do universo. Alguém especial! Cada pessoa é um universo, cada ser vivo é um jardim, aproveito cada raio de sol e cada gota de chuva para florir. No rain, no flowers. Todo mundo tem dias de tempestade, mas sem ela como iriamos ver o arco-íris?
Então, como diz uma das minhas canções favoritas em todo o mundo "descubro quem eu sou: Tua palavra me diz, entendo quem eu fui e quem não mais quero seguir, não... Sou mais que um vencedor, sendo que eu sempre fui o segundo em tudo que eu vivi. E me chama AMIGO. Eu não sou mais estranho, eu sou filho, eu sou Teu."
Caetano Veloso diz que "cada um sabe a dor e delicia de ser quem é". Mas sinto que quando eu sou quem fui chamada pra ser, se torna indolor. Se torna um prazer, um deleite. Eu não ando mais sozinha, eu não preciso mais sentir medo. 
Sabe a música "super herói" do Thiago Grulha? Eu me sentia assim. Talvez eu não faça uma grande diferença no universo. Mas se cada pessoa é um, espero fazer a diferença pra alguém.  
Tento me convencer diariamente que, não é errado se sentir especial. Desde que essa necessidade não seja maior do que fazer com os outros se sintam tão especiais quanto. 

"Ela tinha o dom de ver a beleza nos outros. Mesmo, e talvez principalmente, quando a pessoa não enxergava isso em si mesma." 
- Remo Lupin sobre Lilian Potter.

Obrigada por não me deixarem sozinha! Até a próxima, eu amo vocês.

2 comentários:

  1. Maravilhoso tanto o texto por si só como todas as citações. ❤ 👏

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso tanto o texto por si só como todas as citações. ❤ 👏

    ResponderExcluir