segunda-feira, 6 de março de 2017

Escalada

foto: WeHeartIt
 Eu sempre mergulhei de cabeça nos meus sentimentos. Até que aprendi a saltar nos das pessoas; rasos e fundos. Nunca me preocupei muito com possíveis machucados, ou com o que eu encontraria nesse mar incerto. 
Escalando um pouco em quem eu sou, soube que a subida, quando acompanhada, torna-se mais prazerosa. Então ao encontrar um viajante, parecíamos ir na mesma direção, logo fechei os olhos e estendi as mãos, "seu caminho parece mais seguro". Larguei os antigos mapas, o plano do trajeto e ignorei as previsões de tempestade, fui até o topo mesmo quando escorregava nas minhas inseguranças. 
A vista parecia tão linda... ele disse "vamos saltar?", e eu pulei. Mesmo quando notei que estava sozinha, eu voei, voei, voei... Até que cai. 
Sobrevivi com bonitas cicatrizes. Senti que devia me desculpar pela precipitação; caminhei sozinha esperando encontrar acampamento para o meu coração descansar. Então revi o viajante, corri para o abraço. mas "temos visita", parece que não tem mais lugar pra ficar.
 Voei, voei, voei... e cai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário